COLUNA: 'Posicionamento e Omissão', duas vias que se cruzam e sempre são motivos de críticas - Pop Brasil

ÚLTIMAS!

quarta-feira, 1 de junho de 2016

COLUNA: 'Posicionamento e Omissão', duas vias que se cruzam e sempre são motivos de críticas

Foto: Reprodução / Pop Brasil

Posicionamento e omissão -  termos que se fundem com a arte quando assuntos relacionados a política, questões sociais e  culturais são colocados em pauta. Nesse enredo chamado de 'Liberdade de Expressão',  tudo depende de como e o que será dito, e de como será visto e recebido. 

A questão é complexa, mas que pode ser compreendida, se analisarmos os dois lados com a mesma vontade e verdade. 'Ela falou demais / Ele se omitiu / Tá se expondo demais... ' algumas das frases mais ouvidas por aqueles que não se escondem e se expõem. Se um grupo de artistas não fala sobre a situação política no Brasil, são tachados de 'artistas sem personalidade'. Se eles defendem e/ou levantam bandeira x - são comprados.. Há casos e casos, mas a maioria das críticas disparadas a todos aqueles artistas que se posicionam, a maioria delas tem como pano de fundo a ignorância e uma boa dose de egoísmo, porque tal opinião não lhes convém e nem segue a mesma linha de pensamento que o fulano, sicrano.

'Falou asneira, melhor ficar de boca fechada', criticou aquele que não leu a matéria, se apegou ao título, seguiu as opiniões das ‘marias do face’ e disparou seu julgamento. Existem casos, em que 'as ditas asneiras' não lidas e nem analisadas, são tiradas do contexto com um único foco, fazer com que você desprovido de altruísmo e sabedoria, faça o serviço sujo: Denegrir.

Claudia Leitte, Anitta, Daniela Mercury e mais recentemente Pitty já foram e/ou são alvos por expressarem opiniões consideradas 'polêmicas', outras por levantarem bandeiras e lutarem contra qualquer tipo de preconceito. Artistas que já deram voz aos mais variados assuntos e que na maioria dos posicionamentos, as declarações foram mal interpretadas. Claudia levou o tema homofobia em tom de brincadeira numa entrevista com um repórter de um programa de fofocas e até hoje tem sua imagem arranhada quando o nome da cantora é relacionado a qualquer tipo de campanha com o público LGBT. Anitta tentou falar sobre o feminismo, deu sua visão sobre o tema e virou motivo de xingamentos e piadas na rede. Daniela Mercury assumiu relação homoafetiva , luta em apoio a causa e para uma parcela, mesmo com o passar do tempo ainda é tachada de oportunista. Recentemente, a cantora Pitty usou o twitter para falar sobre a cultura do estupro, bastou algumas frases e opiniões divergiram na rede.

É nesse fogo cruzado de informações e deduções que muitas vezes a arte do artista fica em segundo plano e  é desprezada, porque ele falou/expôs algo que é totalmente o oposto daquilo que você julga como correto. E quando isso acontece, o altruísmo é anulado, o respeito é deixado de lado e o alvo muda: a vida dele (a) passa a ser o foco. 

A facilidade com que o ser humano tem em buscar primeiramente o lado negativo da opinião e situação, é bem maior que reconhecer um possível acerto. A busca incansável pelas falhas de quem se posiciona e de quem se omite, acontece com a mesma proporção. A diferença é uma só: aqueles que se posicionam, despertam um ódio maior por irem contra a corrente e por deixarem de forma clara, sua postura e ideologia. De contra partida, os que se omitem sofrem por serem questionados a todo o momento, gerando assim certo desconforto. Mas, no geral, ninguém sai ileso. 

Diante do quadro 'Posicionamento e Omissão', não há uma escolha certeira. Em qualquer  um dos lados, sempre haverá discordâncias e críticas. São duas vias que se cruzam e soam como antagonistas de uma liberdade onde qualquer tipo de expressão sempre é motivo de julgamento.

POP Brasil
David Dukki