COLUNA: Num país em que 86% das mulheres sofrem assédio, postura do Biel não pode e nem deve ser encarada como 'Brincadeira' - Pop Brasil

ÚLTIMAS!

terça-feira, 7 de junho de 2016

COLUNA: Num país em que 86% das mulheres sofrem assédio, postura do Biel não pode e nem deve ser encarada como 'Brincadeira'

Foto: Divulgação


Nos últimos dias, um assunto tomou conta do cenário musical nacional e virou manchete policial. Uma repórter do IG registrou boletim  de ocorrência contra o funkeiro Biel, o motivo: Assédio sexual.

O caso
O caso ocorreu no início de maio e foi registrado na 1ª Delegacia da Mulher de São Paulo. Ainda segundo a matéria, todo o diálogo foi gravado em áudio e vídeo, conteúdo entregue à polícia após a denúncia. Em um determinado momento da entrevista, a repórter diz ter quase a mesma idade do MC, de 20 anos, e Biel retruca: “Idade não significa nada. Se te pego, te quebro no meio”.
Depois, de acordo com a reportagem, o artista entrega seu celular para a jornalista e pede que ela atenda a uma ligação. Após devolver o aparelho, a jovem é chamada de “cuzona”. Biel ainda inicia uma conversa em vídeo com um amigo e afirma, referindo-se à jornalista: “Mano, que ramelona essa mina, mas dá um desconto porque ela é gostosinha”. Na sequência, perguntado se tinha o hábito de dar “selinho” em fãs, o músico diz: “Sim, você quer que eu te dê um?”

Biel
O funkeiro tratou o assunto com naturalidade, o qual ele chamou de 'Brincadeira'. ''Não consigo entender como não levaram na brincadeira já que a gente tava se tratando de mim, né, cara que perde o amigo mas não perde a piada', diz um trecho de sua postagem através da rede social.

Esse é o x da questão, tratar tal comportamento como 'brincadeira' e 'Molecagem' . Biel esqueceu de um detalhe, é justamente esse tipo de brincadeira que as mulheres sofrem diariamente quando cruzam a esquina de minissaia... São comentários iguais aos do Biel que as mulheres não suportam mais. O fenômeno do funk pode até desconhecer sobre o assunto assim como uma parcela defensora do cantor mas os números e o retrato  que configura o assédio sexual no país, não mentem. No Brasil, 86%  das mulheres já sofreram algum tipo de assédio segundo pesquisa realizada pela YouGov, destacam-se: assobios, olhares insistentes e comentários de cunho sexual. E o pior é que tal assunto é tratado pelo pai do funkeiro como 'Molecagem de um garoto'. 'Qualquer moleque faz uma palhaçada dessa', declarou. É inadmissível e constrangedor ouvir tal declaração quando o oposto deveria ser um conselho e pedido de desculpas do ídolo do funk para a repórter e para todas as mulheres que se sentiram ofendidas. É esse tipo de comentário  colocado como 'palhaçada' que tem que ser combatido, esclarecido e acima de tudo punido (caso seja provado o crime).

A sociedade não pode e nem deve encarar como 'natural / brincadeira' algo que constrange e que deixa a mulher numa posição de humilhação. Biel errou e em nenhum momento se desculpou, pois na mente do funkeiro e daqueles que lhe cercam , não passou de uma brincadeira. Talvez, o artista não tenha a noção de que o número de denúncias para esse tipo de infantilidade cresce anualmente, porque infelizmente existem aqueles que defendem tal comportamento, como palco de humor e risos. Se a moda desta tal brincadeira hitar com a mesma proporção  da música 'Química' teremos inúmeros Biel Brasil afora agindo da mesma forma pois para eles também será mais um momento marcado por uma brincadeira.

O tempo vai passar e Biel assim como tantos outros artistas que já cometeram falhas (mesmo sem ser propositalmente)  vai refletir e perceber que o comportamento foi errado. Um pedido de desculpas e reconhecer a postura machista é a mfelhor forma de crescer principalmente como ser humano. Se esconder atrás de uma assessoria, na maioria dos casos, prejudica bem mais a imagem do artista, principalmente aqueles que são fabricados. Num país em que 86% das mulheres já sofreram algum tipo de assédio, a postura do Biel não pode e nem deve ser encarada como brincadeira.

POP Brasil
David Dukki