Pioneirismo de Daniela Mercury popularizou a folia baiana e fez com que o Brasil e o mundo descobrissem Salvador - Pop Brasil

ÚLTIMAS!

terça-feira, 3 de maio de 2016

Pioneirismo de Daniela Mercury popularizou a folia baiana e fez com que o Brasil e o mundo descobrissem Salvador

Foto: Reprodução Internet


A coluna Questão de Opinião desta semana traz como tema : A mudança do nome de tradicional circuito da folia baiana. Nos últimos dias , gerou-se uma discussão em torno do projeto da câmara de Salvador que altera o nome do  Circuito Barra (Dodô)  - tradicional na folia baiana para Daniela Mercury. Prós e contras se manifestaram nas redes sociais contra o tal projeto, a maioria movidos por fanatismos.

Há erros e acertos na mudança do nome do circuito ?  Analisemos os dois lados. O Circuito Barra-Ondina do Carnaval de Salvador, como todos sabem,  é o Circuito DODÔ, homenagem ao grande inventor do trio elétrico. Responsável pela  invenção do poderoso TRIO ELÉTRICO, como também e principalmente na criação do Pau Elétrico, a famosa guitarra baiana. Dodô colocou a Bahia como pioneira na criação da Guitarra Elétrica. É um divisor de águas na musicalidade e cultura de um povo que respira música, de um estado que é uma verdadeira fábrica de estrelas e da melhor qualidade. Do outro lado, temos Daniela Mercury - a qual considero o grande nome feminino da música baiana, não pelos números , mas por toda história e legado que a mesma construiu ao longo dos anos, sem romper ou corromper sua arte em função dos holofotes . A folia nessa questão possui dua vias, uma atende pelos nomes de Dodô e Osmar, a outra via, tem como sobrenome Mercury. Se Dodô deu origem a folia com a criação do trio e da guitarra baiana, Daniela popularizou a folia e fez com que os quatro cantos do país e o mundo mirassem os olhos pra Salvador. 


Daniela Mercury 1996 / Foto: Internet


Sejamos justos e conhecedores da discussão em questão , que é o circuito. Neste caso, Daniela foi quem valorizou o espaço e deu voz, Dodô e Osmar  nunca tocaram na Barra, apenas perpetuaram sua invenção - o trio elétrico e afins. É um assunto delicado, pois mexe com a história do carnaval baiano e envolve sentimentos familiares e de admiradores. Porém,  não há dúvidas de que a mudança de nome do circuito para Daniela Mercury, é quase que uma obrigação do estado baiano para com a cantora. Foi ela quem popularizou o circuito, a primeira grande artista a sair do Campo Grande  e levar seu carnaval, camarote e mídia para os dias oficiais da festa, lugar que hoje é o centro da folia baiana. Se voltarmos no tempo, mergulharemos numa história em que tínhamos na época, uma artista chamada de 'louca' por tal feito e que hoje está prestes a colher de forma gloriosa não apenas um simples título, mas um reconhecimento de todo um trabalho que fui duramente criticado, e que hoje bebe e sobrevive do que Daniela plantou. A baiana deu um status profissional ao carnaval e o colocou em um patamar que na época era motivo de dúvidas e que muita gente se omitiu por medo e preferiu não arriscar .

No mais, o que gera todo esse desconforto não é a homenagem à Daniela Mercury. E sim a forma com que muitos estão encarando o projeto da vereadora Vânia Galvão, estão encarando como se o poder público quisesse  desconstruir uma homenagem para criar-se outra, e sabemos que essa não a questão. Daniela, Dodô e Osmar, são protagonistas de um enredo que tem como tela a cultura de um povo, que tem como retrato a musicalidade desse país.  Personagens que estão sendo usados em questões políticas, onde a agradabilidade de um lado gera aplausos, e do outro lado,  o desconforto totalmente compreensivo, gera revolta. 

No mais, com ou sem homenagem, Daniela, Dodô e Osmar estão na história do estado da Bahia, eles - como aqueles que criaram elementos pra construção da folia e ela, a mulher que popularizou a folia.

Até a próxima!

POP Brasil
David Dukki