COLUNA: 'Não dividem o mesmo teto mas vivem as mesmas emoções', fã e ídolo - um casamento utópico e complexo! - Pop Brasil

ÚLTIMAS!

segunda-feira, 4 de abril de 2016

COLUNA: 'Não dividem o mesmo teto mas vivem as mesmas emoções', fã e ídolo - um casamento utópico e complexo!

Se analisarmos o significado da palavra ‘fã’, teremos um simples e forte adjetivo: Admirador. Ninguém vai seguir e comprar CD, fazer esforço pra ir a um show, se não admirar tal artista.  E a admiração está aliada ao respeito, ao amor. É  como um relacionamento, um casamento ( Você não se envolve com alguém, a ponto de partilhar tua vida com aquela pessoa por anos, se não houver admiração, amor, respeito...).

Foto: Reprodução / Internet


Fã  e ídolo - neste caso a partilha está mais no lado utópico da relação. Não dividem o mesmo teto, mas, dividem as mesmas emoções. Porém, esse casamento passa a ser complexo, quando o sentimento que move essa relação tem como base o 'exagero'. A música “Exagerado” de Cazuza  serve como espelho para inúmeros fãs, que se perdem entre a admiração da arte de seu ídolo e a idolatria demasiada. “Eu nunca mais vou respirar, se você não me notar. Eu posso até morrer de fome, se você não me amar”, assim como nestes versos, alguns fãs ultrapassam os limites e levam seu amor às últimas consequências. 

Mesmo seu ídolo errando, tendo atitudes vergonhosas, ele se recusa a aceitar que seu artista é humano e está sujeito a erros. O grau de perfeição que ele enxerga no seu  ídolo, é tão assustador, que um simples diálogo, pode virar agressão verbal e física, em questão de segundos. E quando  algo não sai conforme o combinado, é obvio que um fã se frustra se decepciona, se corrói por dentro, mas, é necessário deixar todo qualquer resquício de sentimento ruim de lado e se apegar naquele sentimento que o uniu ao artista (Admiração / Amor). Lembre-se que a verdadeira admiração para com o artista, é aquela que é criada nos bastidores e com o que acontece nos bastidores. Quando falo ‘bastidores’, refiro-me aos erros, as falhas, todos os problemas que acontecem por trás das cortinas do espetáculo. Ter discernimento e entender que para aquele determinado show acontecer, muita água e muita pedrada rolou antes de aquela cortina ser aberta ao público.

A FALTA DO CONVÍVIO SOCIAL E O APEGO A REDE SOCIAL
Existe aquele que segue seu ídolo, como um detetive persegue um criminoso,  a obsessão é igual, tudo gira em torno do artista. E o convívio social ? Normalmente quem age assim, não tem. E existem casos,  onde pessoas se afastaram justamente por não aguentar o amigo , falando 24 horas, de um mesmo assunto. 


Sabemos que ninguém nasce com uma personalidade pré-moldada, e que ela é moldada pelas vivências no decorrer de sua história de vida pessoal e sociocultural. Mas, como teremos fãs que admirem de forma saudável, se o aspecto sociocultural nem passa perto de sua rotina. Tudo se resume a likes, votações em internet e nada mais. Como e quando veremos um fã reconhecendo o erro do seu artista e deixando de lado a agressão e xingamentos, pelo simples fato de o vizinho - amigo, ter uma opinião contrária. 

É necessário aprender a ser fã, principalmente, pra lidar com os fracassos e reconhecer os erros do seu ídolo. 

POP Brasil
David Dukki