Na mira da justiça! Pela segunda vez, grupo Aviões do Forró é processado por apropriação de música, entenda! - Pop Brasil

ÚLTIMAS!

terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

Na mira da justiça! Pela segunda vez, grupo Aviões do Forró é processado por apropriação de música, entenda!

Foto: Divulgação


Pela segunda vez, a Banda Dibôa irá à Justiça contra o grupo Aviões do Forró. Os vocalistas e irmãos Allan Clistenis e Arley Cristian acusam a banda liderada por Solange Almeida e Xand Avião de se apropriar da música Pra Lavar, lançada pela Dibôa em 2014 em parceria com  o cantor Latino. Vale lembrar que uma situação semelhante ocorreu em 2012, quando Allan e Arley entraram com o processo de nº 0047170-97.2012.8.17.0001, da 26ª Vara Cível da Comarca do Recife, por causa da música Só se For Gelada, pelo mesmo motivo. Nos dois casos, os irmãos reclamam que a Aviões tomou as músicas para ela, trabalhando-as nas rádios e comercializando produtos – capas para notebook e smartphone, camiseta, squeeze – a partir delas.





Alguns produtos com o verso “Desce uma, desce duas, desce três”, da música “Pra lavar”, do site lojaavioesdoforro.com.br,  foram retirados do ar.


Foto: Reprodução / Site


A ação que corre sobre  a canção 'Só se For Gelada' ainda não chegou ao fim devido a um acordo extrajudicial que a Aviões do Forró diz ter feito com um ex-empresário da Dibôa, mas Allan e Arley negam ter participado do tal acordo , e o tal empresário não foi achado. Sobre o caso mais recente, os irmãos alegam ter notificado a banda famosa em dezembro, através de advogado, mas não receberam repostas alguma.

Veja também: Depois de homenagem a Tim Maia, "Projeto Nivea Viva!" homenageará o rock com Pitty e outros grandes nomes. Confira!

“Eu preciso da minha música para fazer sucesso e levar a banda adiante. Nas duas vezes em que eu quase consegui estourar veio a Aviões e atropelou a possibilidade de a gente crescer, mesmo que fosse pouco”, conta Allan. Ele diz que em 2012, quando lançou Só se For Gelada, teve de pegar dinheiro emprestado para colocá-la nas rádios. Um mês depois, quando as bandas do Recife já começavam a tocar a música, a Aviões do Forró se apresentou no Clube Internacional e a tocou, o que rendeu uma gravação, que se tornou comercial.

Com Pra Lavar teria ocorrido percurso parecido: Allan e Arley pegaram o dinheiro que tinham e apostaram na música, que chegou a ser gravada com participação de Latino. A parceria soava próspera… até Aviões do Forró se apropriar da composição. “Eles convidaram a gente pra tocar a música com eles no Olinda Beer. Era importante a gente aparecer… E a gente achava que tinham convidado para reparar o dano passado, mas logo em seguida eles venderam a música fortemente”, relata Allan, dizendo que chegou ao ponto de a Dibôa e a Aviões do Forró venderem a tal música às mesmas rádios.

POP Brasil com informações do jornal O Dia
Felipe Santos